O melhor show que eu já vi na vida!

É isso mesmo, só posso dizer isso do show do Bon Jovi ontem a noite no Morumbi. Foram 3 horas de um show impecável e perfeito. O lindíssimo Jon Bon Jovi iniciou a apresentação as 21:15 (estava marcado para as 21 hs). Felizmente não peguei a apresentação do Fresno, que dizem que foi um protesto só.

Jon entrou no palco ao som de “Blood on Blood”, tirando o fôlego da mulherada.E começou a mandar os sucessos que foram trilha sonora da vida de muita gente, inclusive da minha. “You give love a bad name”, “Born to be my baby”, “Bad medicine”, “Lay your hands on me”. Teve até happy birthday ao baterista Tico e uma brincadeira com “Pretty Woman”. E a galera delirou quando Jon disse: “Obrigado, São Paulo! A julgar pela reação de vocês, deveríamos vir para cá todo ano”.




Aos poucos, o dono daqueles olhos azuis que reluziam aos holofotes foi trocando de roupa. Surgiu com uma toda preta. Depois trocou por uma camiseta azul, mostrando que está em perfeita e absoluta forma. Terminou com uma vermelha, deixando a mostra uma tattoo no braço direito. E que braço!


“Always” emocionou. Parei só para olhar aquela bela criatura cantando essa música. Não tem como explicar. Tem que ver.


O após o bis, eles se reuniram no palco como se estivessem discutindo o que fazer com aquela multidão que continuava pedindo mais. Aí eles voltam e encerram com “Bad of Roses”. Sei que essa parte é toda ensaiada, mas é muito legal.


Não houve uma falha. O telão era muito melhor do que qualquer cinema. Não teve um led queimado. Não teve uma falha de som. Não teve uma microfonia. As luzes estavam em perfeita sincronia com a música. E o telão principal, o do meio, é um capítulo a parte. Os vídeos mostrados eram incríveis, hora era uma estrada, hora um vitral de uma catedral, hora um relógio de ponteiros, sempre relacionado ao tema da canção. Coisa de primeiro mundo. Não tem nada igual por aqui. NADA. Pelo contrário, percebo como os brasileiros são incompetentes, sem preparo técnico e sem criatividade para organizar shows.

Agora a parte "verde e amarela" da coisa....A organização foi a pior possível. Pra variar. Não encontrei meu camarote e cada pessoa com a camiseta escrito “posso ajudar?” atrapalhava ainda mais. Cada um falava uma coisa, eles não se entendiam. Acabei me encaixando numas cadeiras e acho até que foi melhor que o camarote. rs E os flanelinhas? Cobravam R$ 20 pra deixar o carro na rua. E no estacionamento? R$ 80. Mão na bolsa pra ninguém te assaltar e nada de mostrar máquina fotográfica fora do estádio. Lá dentro um sonho. Lá fora um pesadelo.


Meu vídeo abaixo...arrepiem-se!