Instituto Gabi lança campanha para arrecadar fundos

O Instituto Gabi – Centro de Referência, Orientação e Atendimento a Pessoas Portadoras de Deficiência, que mantém atendimento gratuito a 70 pessoas com deficiência – está lançando, nas proximidades do dia da Criança, a Campanha "Criança Especial Merece um Presente Especial".
O objetivo é arrecadar fundos para a compra de mesas de atividades, brinquedos e materiais pedagógicos. “É uma forma diferente de presentear, de maneira duradoura, com materiais de uso coletivo”, avalia o presidente do Instituto Gabi, Francisco Sogari.  
Há duas formas de colaborar com a Campanha : a pessoa ou empresa pode adquirir um dos itens de maior necessidade da casa, bastando para isso ligar para (11) 5564-7709, receber as informações e fazer a compra. Outra maneira de ajudar é contribuir com algum valor, mediante depósito numa das contas – disponíveis no link COMO AJUDAR, do site www.institutogabi.org.br


Conheça um pouco mais sobre o Instituto Gabi

Transformar a dor em caridade não é fácil. Após perder, em fevereiro de 2001, sua pequena filha Gabriele, de apenas seis anos, em um atropelamento, o jornalista Francisco Sogari, que estava com Gabi no momento do acidente, viu-se na situação de dor de tantos pais que perdem seus amados filhos vítimas da violência. Porém, juntamente com a esposa, a pedagoga Iracema Sogari, ele decidiu transformar sua dor em um gesto de amor: o casal fundou o Instituto Gabriele Barreto Sogari, conhecido como Instituto Gabi,.

Instalado no bairro de Vila Santa Catarina, na zona Sul de São Paulo, o Instituto Gabi em poucos anos tornou-se referência no atendimento dos portadores de deficiência. Com o trabalho social, o casal Sogari encontrou um novo sentido para sua vida. "Hoje minha vida mudou completamente. A dor continua, mas vejo que a Gabriele está presente no semblante dos deficientes que são atendidos na casa a ela dedicada", revela Sogari.  

O casal busca a auto-sustentabilidade do projeto. "Conseguimos atender gratuitamente 70 crianças e adolescentes com deficiência. A Prefeitura cobre apenas parte dos gastos. A receita restante provém de trabalho e generosidade, muito empenho na captação de recursos e a resposta de pessoas e empresas que são sensíveis e apostam no trabalho.