Estreia nos cinemas "Nosso Lar"

Estreia nos cinemas uma superprodução baseada no livro homônimo de Chico Xavier: “Nosso Lar”, com direção de Wagner de Assis. Já assisti à pré-estreia e posso dizer que é um filme intenso, muito intenso. Trata-se da história de André Luiz, um médico que em vida não era muito um bom exemplo. Ao desencarnar, ele vai para o umbral, uma espécie de purgatório. Nesse momento são as cenas mais pesadas, algo que crianças não devem assistir, a não ser que entendam muito bem a doutrina espírita. Caso contrário, ficarão assustadas.

Daí em diante, começa o verdadeiro aprendizado de André. Ele sofre demais e após humildemente pedir ajuda, é resgatado por espíritos de luz e levado ao Nosso Lar. Passa um tempo no hospital. Um espírito, chamado Lísias o acompanha em toda sua trajetória, explicando-lhe como funciona aquela cidade “futurista”.

Aí começa uma lição de moral na platéia inteira do cinema. A regeneração do espírito de André Luiz é um exemplo que os homens aqui na Terra deveriam seguir. Nem vou entrar no campo da religião, mesmo porque certamente receberei emails de evangélicos, católicos, muçulmanos e demais crenças, que não acreditam em nada disso. Tudo bem, é a liberdade de cada um. Mas uma coisa é comum a todos, independentemente da religião: a importância de ser uma pessoa boa.

André Luiz aprende a ser solidário. A ser humilde. A ser amigo das pessoas. A ajudar sem pedir nada em troca. A não ser egoísta. A valorizar o trabalho. Ele entende a lei da ação e reação. Tudo que você faz de mal aos outros volta pra você na mesma intensidade.

Então você acaba fazendo uma avaliação do seu planeta e das pessoas com quem convive, e chega a conclusão que realmente essas coisas só acontecem no Nosso Lar. Por aqui, os seres ainda são muito subdesenvolvidos (com raríssimas exceções, que ainda hei de conhecê-las). Aqui as pessoas ainda acham que ter um carro caro faz com que elas sejam importantes. Ou que ter arrumado um trabalho por ser amante do chefe a torna mais inteligente. Que amebas. Estão há anos-luz de distância de André Luiz. Nem existe essa comparação.

Bom, assistam ao Nosso Lar, vale a pena, mesmo para quem não é espírita, apesar de ser um filme espírita. Os ensinamentos são para a vida toda. Esta e a outra.



Obs: o mesmo texto pode ser lido no blog da rádio no www.novabrasilfm.com.br/blog/cristiane-tavares