Adote uma amiguinha!

Como é difícil cuidar de cães abandonados nesse país. Eu, como adepta desse trabalho e protetora independente, posso dizer que retirar animais das ruas e procurar um lar para eles é uma missão altamente desgastante, física, financeira e emocionalmente. 

Minha última façanha foi resgatar uma família (mãe e 2 filhotes) e colocá-la num canto de uma garagem nossa. Todas estavam famintas, sujas, desidratadas e em perigo. Agora, o próximo passo é encontrar uma casa para elas. Aí começa o calvário: fiz divulgação no facebook, email, cartazes, boca a boca, jornal de bairro, sites de ONG’s, blog particular, blog de amigos, amigos espalharam para amigos...e alguém se interessou? Ninguém. E sabe porquê? Por que são SRD –Sem Raça Definida, vira-latas. As pessoas fazem fila de espera para adquirir um cachorro de raça, mas não se propõe a adotar um cão de rua. Isso é preconceito. Da mesma forma que os casais que querem adotar uma criança, preferem loirinhas, pele branca e olhos azuis, as pessoas que vão em busca de um cachorro querem de raça. Já perdi amizades por causa disso.

É o seguinte: quem gosta de cachorro, gosta de qualquer cachorro. Esse negócio de escolher um de raça é a necessidade humana de aparecer aos amigos, de dizer que tem “tal” cachorro e assim, criar um status fictício.  Lamentável.

Defendo fortemente a adoção de cães abandonados. Acho lindo quando alguém resgata um cão da rua e leva pra casa. Isso pra mim é uma demonstração de evolução espiritual. Infelizmente poucas pessoas no Brasil tem esse perfil. Afinal, é um país pobre, de terceiro mundo, que ainda precisa de muita educação. Vá à Alemanha, vê se tem animal nas ruas por lá!

Quem quiser adotar uma cadela de 1 ano e meio, ou um filhote de 3 meses, podem ver abaixo as informações.








Esses bichinhos foram encontrados na rua, em pleno inverno. A mãe tem cerca de 2 anos (jovem) e a filhote têm 3 meses, fêmea, SRD – Sem Raça Definida. São dóceis e brincalhonas. Elas não têm lugar para morar. Se não forem adotadas, poderão voltar para a rua. A bebê já está castrada. Todas serão doadas vacinadas e vermifugadas.


Adote-as! Entre em contato conosco:

Cristiane – cel 6899-4711 // com 2605-4685 (tarde) // cel 9404.4127

Email: cristianetavares2@hotmail.com