Som alto de trios elétricos pode prejudicar a audição

Pular carnaval atrás dos trios elétricos pode causar prejuízos irreversíveis à audição. Isso porque o ouvido humano suporta normalmente até 85 (dB), mas o som potente que sai das caixas de som ultrapassa os 120 decibéis (dB), mesma intensidade de um avião em decolagem e nível de ruído a que uma pessoa não pode ficar exposta por mais de sete minutos ao dia. Do contrário, os danos podem ser até irreversíveis. Tomar cuidado é importante para evitar que mais casos de perdas auditivas, zumbidos, e surdez aumentem nesta época do ano, como já é comum, segundo dados da Sociedade Brasileira de Otorrinolaringologia (SBOL).

A exposição a ruído é uma das causas mais comuns de deficiência auditiva. Uma lesão por ruído pode acontecer após um som de breve duração, porém intenso (explosão) ou devido à exposição regular a ruídos ao longo do tempo. Geralmente ela fere células do ouvido responsáveis pelas frequências altas e pelo entendimento da fala. Além disso, dependendo do período de exposição, sons de intensidades superiores a 85 decibéis podem comprometer a capacidade auditiva para sons ambientais e ainda causar o zumbido - sensação de chiado ou apito constante no ouvido - que não tem cura e atinge cerca de 278 milhões de pessoas em todo o mundo, sendo 28 milhões só no Brasil. 
Para proteger-se, existem tampões de silicone e protetores auriculares com filtros que deixam passar o som da fala e reduzem a entrada de ruídos. 

Atualmente, a Organização Mundial da Saúde (OMS) considera a poluição sonora a terceira maior do meio ambiente. Algumas pesquisas ainda mostram que o ruído fora de controle constitui um dos agentes mais nocivos à saúde humana, causando perda da audição, zumbido, distúrbios do labirinto, ansiedade, nervosismo, hipertensão arterial, gastrites, úlceras e até impotência sexual.

(fonte: Audibel www.audibel.com.br     
www.ouvirfazbem.com.br)