Atitude de primeiro mundo

Os iluminados arranha-céus de Nova York causam confusão às aves migratórias, advertiu um grupo ambientalista americano que pediu neste mês aos moradores da área central de Nova York que apaguem as luzes de seus apartamentos após a meia noite, para evitar colisões de pássaros.

A associação ecologista NYC Audubon, cuja iniciativa foi lançada em 2005, conta este outono com 40 prédios associados, entre eles os famosos edifícios Chrysler, Time Warner e Rockefeller Center. O Empire State tem seu próprio programa de proteção há vários anos.

A NYC Audubon estima em 90 mil o número de pássaros que morrem anualmente em Nova York em choques com arranha-céus, durante a migração.

"À noite, os pássaros tomam como referência a lua e as estrelas. No meio urbano, as potentes luzes artificiais os desconcertam", explicou Susan Elbin, ornitóloga da NYC Audubon.

Nos meses de setembro e outubro, o pico da temporada migratória do outono, a NYC Audubon reivindica aos administradores dos arranha-céus que apaguem a iluminação ornamental, bem como as luzes mais fortes dos escritórios entre a meia-noite e as 6h.