Conheça os vencedores do Prêmio São Paulo de Literatura

O Prêmio São Paulo de Literatura, concedido pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado da Cultura, anunciou ontem (01.08), os dois grandes vencedores desta edição. 
 
Rubens Figueiredo, autor de Passageiro do fim do dia, conquistou o prêmio na categoria Melhor Livro do Ano e Marcelo Ferroni foi o vencedor da categoria Melhor Livro do Ano – Autor Estreante, com Método prático da guerrilha. Cada escritor recebeu R$ 200 mil. A cerimônia, no Museu da Língua Portuguesa, contou com a presença do Secretário de Estado da Cultura, Andrea Matarazzo.
 
 
CONFIRA A SINOPSE DOS LIVROS VENCEDORES


Categoria: Melhor Livro do Ano  
Autor: Rubens Figueiredo

Título: Passageiro do fim do dia (Companhia das Letras)

Pedro embarca numa longa jornada de ônibus pelas ruas congestionadas de uma cidade grande, saindo do centro em destino a um bairro periférico. Em meio a um infindável congestionamento, ele observa distraído o que se passa dentro e fora do ônibus, enquanto ouve seu radinho e lê um livro. Será que o ônibus chegará ao seu destino? Nessa viagem, passado e futuro passam pela cabeça de Pedro, que vê nos passageiros muitos reflexos de si, apesar dele tentar abstrair-se do entorno.

Rubens Figueiredo nasceu em 1956, no Rio de Janeiro. Cronista e romancista, é autor de As palavras secretas, Barco a seco, ambos prêmio Jabuti, Contos de Pedro e O livro dos lobos (Companhia das Letras), entre outros. 
 
 
 



 Categoria: Melhor Livro - Autor Estreante  
Autor: Marcelo Ferroni

Título: Método prático da guerrilha (Companhia das Letras)

A saga do guerrilheiro argentino é recontada por um biógrafo sem nome, que tem em mãos material inédito sobre o único brasileiro que participou da empreitada de Guevara. Em 2004 o Departamento de Estado dos EUA libera um vasto material, com a transcrição de um interrogatório. A partir de diários, biografias e depoimentos, o narrador traz à tona os fatos trágicos daquela guerrilha, desde a concepção até seus momentos finais. Mas desde o início a empreitada é ameaçada pela inexperiência de todos, somada aos equívocos e às crescentes dificuldades de comunicação.  
 
Marcelo Ferroni nasceu em 1974, em São Paulo. É editor da Alfaguara, selo da editora Objetiva.