12ª edição do FILE começa em 19 de julho


Sesi-SP e FIESP apresentam a 12ª edição do FILE - Festival Internacional de Linguagem Eletrônica - acontece este ano no Centro Cultural Fiesp - Ruth Cardoso, de 19 de julho a 21 de agosto de 2011, de segunda das 11h às 20h, terça a sábado das 10h às 20h, e aos domingos das 10h às 19h. 

A programação ocupa a Galeria de Arte do SESI-SP, o Teatro e o Mezanino do Centro Cultural, na Av. Paulista, que recebem a exposição, performances e workshops com entrada gratuita.

Na 12ª edição, o FILE apresenta os festivais:

1. FILE EXPOSIÇÃO INTERATIVA,
2. FILE PAI,
3. FILE GAMES,
4. FILE MAQUINEMA,
5. FILE ANIMA+,
6. FILE TABLET,
7. FILE MEDIA ART,
8. FILE HIPERSÔNICA,
9. FILE SYMPOSIUM e WORKSHOP





FILE - Festival Internacional de Linguagem Eletrônica

http://www.file.org.br

Entrada franca para toda a programação
ABERTURA PARA CONVIDADOS: 18 de julho, às 19h30  
Local: Centro Cultural Fiesp - Ruth Cardoso - Av. Paulista, 1313 – Metrô Trianon-Masp  
Datas e horários: de 19 de julho a 21 de agosto de 2011 - de terça-feira a sábado, das 10h às 20h, às segundas-feiras, das 11h às 20h, e aos domingos, das 10h às 19h.  
Informações: (11) 3146-7405 / 3146-7406






Santander Cultural e Ministério da Cultura apresentam a 2ª edição do FILE PAI (Paulista Avenida Interativa ou Arte Pública Interativa), um projeto de arte pública que ocupará vários espaços da Avenida Paulista com obras eletrônicas e interativas entre eles: o Instituto Cervantes, o Conjunto Nacional, a Livraria Cultura, o vão livre do MASP, a Livraria Fnac, as estações do metrô, o Centro Cultural São Paulo, além do Centro Cultural Fiesp - Ruth Cardoso compõem o conjunto do FILE PAI 2011.

O Projeto Paulista Avenida Interativa (PAI) não só planeja ocupar galerias e espaços culturais localizados na Avenida Paulista, como também planeja exibir as mais sofisticadas formas de obras públicas que utilizam meios eletrônicos.

Estas obras habitarão a Paulista, conversando com sua arquitetura e seus espaços de convivência urbana, criando diálogos inesperados entre cidadãos e a arte em seu meio mais avançado.